Retrospectiva 2018 - O ano que deixa saudades ou não

2018 já caminha para seu final.
Um ano que deixará saudades, ou não.

Tudo começa em janeiro, o ano entra com grandes expectativas profissionais e pessoais para mim.
As coisas vão demonstrando que talvez, muitas realizações pudessem acontecer ao longo dos meses que iriam se seguir.
Em fevereiro mudanças na minha vida profissional, fazem que eu passe a aceitar novos desafios.
Algumas chateações surgem nesse curso, mas depois elas vão sendo substituídas por uma vontade de se provar e de vencer os desafios que surgiram.
Em março, o Grupo Kester começa uma nova fase.
Passamos a desenvolver pela primeira vez, programas e aplicativos.
Plataformas que podem ser usadas para melhorar o dia dia das pessoas, e passamos a ficar cada vez mais conectados aos nossos leitores.

Em abril, o ano começou a dar mostras de que seria diferente e nada fácil.
Minha saúde começa a dar sinais de que eu precisava fazer um recesso e muitas coisas começam a mudar.
Sou afastado por minha equipe médica de todas as minhas funções de trabalho.
E em maio, nomeio minha querida Assessora e amiga Sofia Granzzoti, como diretora interina do Grupo Kester.
Sofia passa a me substituir, e assume de vez a liderança e os rumos da nossa equipe.

Em 18 de junho de 2018, uma saga começa.
Ataques Hackers que ocorreram em 2017 contra o Grupo Kester e seus sites, agora são feitos contra a minha pessoa.
Nós começamos a descobrir quem está por trás de cada um desses atentados.
Descobrimos também, que meu celular foi clonado e que esses criminosos digitais ouviam minhas conversas, se passavam por mim e conversavam com as pessoas inclusive fazendo montagens com minha voz.
Aplicam um golpe perfeito e arrancam dinheiro das pessoas como se fosse eu a pedir, sendo que nunca fiz ou faria algo do gênero.
Descobrimos o mandante dos ataques, e isso me surpreende.
Pois é uma pessoa que eu conheci no passado, e que durante um bom tempo fez parte da minha vida.
E que nunca pensei seja pela razão que for, que teria a loucura de planejar um plano que é ousado e ao mesmo tempo tão sórdido para me prejudicar.
Operações policiais em julho, descobrem 43 pessoas fazendo parte de uma organização criminosa com o claro objetivo de me destruir, pessoal e profissionalmente.
E a gente no Grupo Kester, precisa se aguentar.
Quase nosso Site acaba, eu decreto o fim das atividades do Grupo.
Mas, em 28 de julho, no último dia de tudo eu regresso a minha decisão.
Depois de muitas conversas com familiares, de muitas intervenções de pessoas a meu lado e de propostas para compra do site Kester, entendo a necessidade da marca continuar
existindo.
Em agosto, buscamos nos renovar e continuar trazendo a todos, informação precisa e de credibilidade.
Ainda sigo afastado de minhas funções e tudo segue administrado por Sofia Granzzoti.
Que entre suas sábias decisões, cria uma plataforma de assinatura que me permite ter Sorilis para um bom tempo de minha vida.
A injeção que eu necessito tomar todos os meses a cada 15 dias, e que é o único tratamento disponível para a HPN.

Em setembro porém, a gente descobre que nem tudo que planejamos pode dar certo.
E que as vezes a maldade das pessoas transcendem nosso entendimento.
Um ataque as minhas contas bancárias, retira todos os recursos guardados para a Sorilis.
Não havia se quer injeções para tomar no mês.
Campanhas são feitas de maneira muito rápida, e a marca Kester não pode mais ficar nas minhas mãos.
Se ficasse, os ataques eu temia, a destruiria para sempre.
Passo a negociar com a jornalista Melissa Becker, um jeito dela administrar a marca, sem que nossos colaboradores ou leitores atendidos fossem afetados.
No dia 11 de setembro, repasso a marca para seu poder e Melissa assume a chefia do grupo, antes nas mãos de Sofia por conta de meu afastamento.
Ela decide por encerrar as atividades Kester, e voltar a usar um nome antigo que tinhámos, aproveitando nossa estrutura já existente.
O Portal A3, extinto antes, volta a operar.
Muitas mudanças são necessárias e feitas, e a gente acaba conseguindo novamente repor recursos para a Sorilis.
Em outubro, eu saio de meu afastamento e ajudo a equipe em uma das coberturas mais importantes do ano, para as eleições.
Nos dias 7 e 28 de outubro, nós fazemos o que mais gostamos de fazer, deixar as pessoas bem informadas.
Nosso site experimenta múltiplos acessos e são mais de 3 milhões de visualizações. Recorde e felicidade em um ano que se configurava tão difícil para nós.

Novembro chega, e com ele a certeza de que 2018 ainda não havia acabado.
Os Hackers haviam preparado um golpe final, desta feita com ajuda de dentro da equipe.
Sim. Fomos traídos e enganados por pessoas que acreditávamos estar ao nosso lado.
Mas que na verdade eram membros da tal organização criminosa, que agora já tinha 65 pessoas identificadas mas não localizadas pela polícia.
No novo ataque, todos os recursos foram desviados de todas as contas bancárias.
Não era apenas a Sorilis que faltara agora, mas todos os nossos projetos e nossos colaboradores, estariam sem atuar, sem receber.
Entramos na crise final, aquela que seria o fim do Portal A3 ou do Kester ou queiram lá como chamar agora.

Giovana Miccelann, uma de nossas colaboradoras, minha amiga pessoal e também empresária me chamou para conversar.
E disse que nosso projeto não poderia morrer.
Colocamos um novo portal Online, com a marca Miccelann.
E decidimos em dezembro reativar a marca Kester, criando a agora Onor Kester 10 G.
Uma fusão do Grupo Kester com a Miccelann Corporation, e que tem dado certo.
Chegamos a 1,8 milhão de acessos no nosso Portal, em menos de 30 dias de atuação.
De 5 a 28 de dezembro.
Lançamos alguns livros dos quais Hauei, é o mais lido com 1,2 milhão de acessos.
E o ano caminha para seu final, prometendo muitos projetos para 2019.
Entre eles a criação de um Android Onor.
Uma personalização do sistema operacional do Google para empresas, que estamos a testar.
E que entre janeiro e março do ano que vem, vai estar disponível para comercialização, esperamos.

Agora estamos aqui, as vésperas de um finalizar de ano que teve de tudo um pouco.
Dor, sofrimento, expectativas e esperança.
E de novo a gente tenta buscar e renovar a nossa esperança, para que dias melhores possam vir.
Não sabemos ao certo se isso será possível, mas aguardamos com ansiedade e otimismo, coisas que são essenciais e que não podem faltar.
Tenho certeza de que 2019 será um ano de muitas marcas, e que será muito intenso.
Esperemos por ele agora, e que Deus nos ajude.