A batalha de Bruno Covas - Prefeito de SP é diagnosticado com câncer no estômago

O Brasil acordou nesta segunda-feira, 28 de outubro, com a notícia que se destacava em meio a tantas no cenário nacional.
O Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, havia sido diagnosticado no Sírio-Libanês, horas antes com um tumor.
Não se sabia muito e aguardava-se posições médicas que só vieram pela tarde, após mais exames serem feitos.

Agora pode-se de fato afirmar.
Bruno Covas, aos 39 anos de idade, tem um câncer maligno no estômago, localizado no esôfago.
O tumor tem metastáse para o fígado e crescia sem alardes e foi descoberto por uma questão de procura médica.

Em 23 de outubro, Covas se internou para tratar uma infecção de pele conhecida como Erisipela.
Os médicos acharam estranho porque o quadro logo evoluiu para tromboses venosas.
Covas é jovem e tinha uma boa saúde, boa dieta alimentar e não tinha histórico de outros problemas.
Um trombo no pulmão foi localizado e um sinal vermelho se ascendeu dentro da equipe médica.
Os profissionais sabiam que tinha algo de muito errado acontecendo ou ele não teria tantas situações descobertas num prazo de 3 dias, por causa de uma simples infecção, que
apesar de tudo não e´simples mas foi colocada assim para melhor dizer e descrever do que se tratava.
Bruno Covas então foi submetido a um dos exames de imagens mais sofisticados do mundo, e também mais caro deles.
O exame é capaz de fazer um escaneamento completo do corpo com alta definição, e mostra qualquer coisa de anormal que ali possa haver.
Foi através deste Pet-Scan, que Covas descobriu na noite de sábado, 26, que estava com um tumor.
Foi necessária uma laparoscopia, realizada na noite de domingo, 27, para analisar o tipo de tumor e a melhor forma de tratamento.
Esses resultados vieram na manhã de segunda-feira.

Covas tem um tumor maligno que se espalhou, atingindo o fígado, por isso o termo metastáse foi usado acima.
O Prefeito de São Paulo está bem, pois não tem sintomas da doença e conseguia se alimentar normalmente.
Pode se dizer que foi talvez sorte, que ele tivesse médicos tão cuidadosos ao ponto de escanea-lo a descobrir de onde vinham tantos problemas.
Eles advinham do câncer, o temido e assustador câncer.

Bruno Covas recebeu diversas mensagens nas redes sociais, desde que os primeiros diagnósticos chegaram.
Fez questão de agradecer a cada uma delas e de dizer, ia superar essa tempestade.
Não tinha ideia o político e jovem rapaz, do tamanho da tormenta que se aproximava.

O tumor será tratado com quimioterapia, os médicos acreditam que uma quimio agressiva seja a melhor alternativa, com ciclos de cada duas semanas.
Daqui 6 ou 8 semanas ele será reavaliado para saber como a doença reagiu ao tratamento.
Eles acreditam haver possibilidade de regressão do tumor, devido aos hábitos saldáveis que Covas tinha.
Não é só isso que conta, o emocional nesse momento, o apoio que recebe de membros da política, da família, de amigos, também é extremamente importante.
Hoje, a imprensa não está aqui para falar se ele faz boa ou má gestão.
Para criticar as atitudes do governo.
Hoje todos somos solidários com um homem, que carrega no sobrenome o peso de outro grande homem, saudoso Mário Covas.
Que enfrentou por igual um temível e letal câncer em 2001.
Impossível não me lembrar na tarde de hoje, enquanto acompanhava as notícias, do 22 de janeiro de 2001, quando Covas se afastava do governo de SP.
Mais impossível ainda não lembrar, do 06/03/2001, quando nosso Governador infelizmente nos deixou.

Não estou dizendo que o mesmo acontecerá com seu neto, pois são até coisas diferentes, tumores diferentes e em locais diferentes.
Mas tudo isso nos faz lembrar, nos faz relembrar, de questões genéticas, de questões que muitas das vezes passam despercebidas por nós.
As batalhas que as pessoas tem de enfrentar no seu dia dia, para executar o seu trabalho.
Bruno Covas ainda jovem, herdou a Prefeitura de SP de João Doria com quem foi eleito para governar em 2016.
Assumiu a mesma no ano passado quando Doria disputou e venceu a eleição para governador.
Era principal nome do PSDB a tentativa de reeleição no ano que vem, e talvez um dos nomes do partido para o governo de SP em algum momento, entre 2022 e 2030.
Um prazo tão longo porque muitas coisas poderiam ocorrer nesse meio termo, a começar do regresso de Geraldo Alckmin, assunto para outra hora, outro Post.

Hoje, com toda essa informação repassada e com algumas lembranças na mente, só quero desejar ao Prefeito de São Paulo sorte.
Na batalha que ele vai enfrentar, ele deve saber que não vai estar sozinho.
Somos milhões do lado de fora do hospital, torcendo por sua breve recuperação e por seus cada vez mais altos voos na política.
Covas é um homem bom, e pessoas boas raramente tem passagens fáceis no plano terreno.
Mas Deus conforta, sabe de todas as coisas, e é fortaleza nos instantes mais difíceis e essenciais de nossas vidas.
Vamos lá Prefeito, vamos lutar e vencer juntos, pois o Senhor tem a maior cidade do Brasil para governar, os paulistanos contam com você.